segunda-feira, maio 07, 2007

Ainda que toque em mim a alma de uma mulher...

Minha filha canta e vive: é mulher como eu.

Viverá para o mundo e só morrerá por ele. Minha filha cantará os sonhos, todos os sonhos de uma mulher e viverá todas as suas mágoas... E as minhas que com certeza debulharei sem perceber nos campos que só a ela pertencerão. Choraremos, nos separaremos um dia, para nos perceber de volta ao caminho de tijolos amarelos, buscando um coração para o homem de lata, a coragem para o leão, uma alma para o espantalho e o nosso caminho de volta.

Nos veremos, muitas vezes como rivais, medindo forças em nome do nosso amor.

Ah, minha menina... Sinto tanto medo! Preciso salvar você, mantê-la viva para entregá-la ao mundo que sem a menor cerimônia vai invadir sua alma e tentar corrompê-la.

Quanto arrependimento! Agora que vejo você, dormindo, indefesa... Que culpa louca é essa? Que força poderosa nos impele a procriar e não nos arma de coragem? É preciso ter coragem.

Não basta só ter uma filha, é preciso revolucionar junto, é preciso dar-lhe a vida.

Quantas são as mães que somente parem e entregam seus bebês cruelmente à selvageria? Espere! Do que estou falando? O que sei eu do que sofrem estas mães? Preciso salvar minha filha e todas as filhas do mundo para que possamos continuar gerando a maior revolução que é dar à luz mais um ser.

(Texto extraído de "Ainda que Toque" - peça de teatro de minha autoria, montada pelo grupo "Anas, Ias e Dias", em 1994, no Teatro Municipal de Araruama)

4 comentários:

Eliana de Freitas disse...

Lindo, sutil... Quando nasci, depois de um parto de 22 horas, a primeira reação de minha mãe foi misericórdia, já pensando quanto eu sofreria ao parir, também. Quem dera as maiores dores femininas hoje em dia, fossem as de parto.
www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br

Permanente disse...

É, Morgana. Ser mãe é ter o prazer da revolução.
Beijinhos carinhosos a toda família. Um excelente final de semana das Mães pra vocês.
Elida Kronig / ADILE*RJ

Ana Betânia disse...

Lindo ,Motgana!

Xêru!

Feliz Dia das Mães!

Margera Fan disse...

Lindo texto. Que emoção *olhos enxem de água* Eu queria ter ído a essa peça de teatro, pena que só tinha 1 ano nessa época ^^ Adorei seu blog por inteiro, e vou até procurar te visitar mais vezes ^^ Um bjão e um ótimo final de semana! XoXo