sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Bloco de nós

- Tá ouvindo?
- O quê?
- É o bloco.
- Hã, sim, é. Pensei que você estava falando da cadeira rangendo.
- Eu falava do bloco mesmo.
- O bloco tá passando.
- E a cadeira, rangendo.
- Mas o que é que você está querendo com essa conversa toda?
- Ouff!!
- Você tá assoprando de novo.
- Ouff!!
- Por que é você assopra tanto?
- Essa cadeira, precisa colocar óleo, não pára de ranger.
- Não é a cadeira que te incomoda, é o bloco.
- O bloco tá passando lá fora.
- E é isso o que te incomoda, não a cadeira.
- Essa cadeira range o tempo todo, o tempo todo, o tempo todo.
- E você nunca reclamou dela.
- Ouff!!
- E tá assoprando de novo.
- Escuta, eles estão tocando “Bandeira branca...”
- Eu gostava de dançar no salão.
- “Bandeira branca, amor...!”
- Você preferia a rua.
- Você não.
- Onde você vai?
- Vou comprar cigarros.
- Você não fuma.
- Ouff!!
- Fica aí. Daqui a pouco passa.
- O bloco?
- Sua vontade de fumar.
- Ouff!!
- Se continuar assoprando vai acabar sem ar.
- O que você está cozendo?
- É a fantasia.
- Há anos que você está cozendo esta fantasia.
- Algum problema?
- O bloco...
- O que é que tem o bloco?
- Passou.

3 comentários:

Jefferson P. disse...

Ahhhhhh... perderas o bloco?! Rsrsrs ...observe agora com a atenção dos ouvidos que tendem a desenhar o colorido do bloco em sua mente. ;p

bj

jf p.

Ramon disse...

Ai, triste!

Xiko do Couto disse...

Gostei, M!